Há 88 anos, os moradores da cidade de Al Aziziyah, no norte da Líbia, quase 'fritaram' com um calor de 57,7° Celsius – a temperatura natural mais alta já registada na Terra. No entanto, a ciência comprova que o corpo humano poderia suportar muito mais.
É possível morrer de calor mas o corpo humano consegue tolerar temperaturas de mais de 100º marcados no termómetro durante cerca de 20 minutos. Isto porque, consoante o ambiente externo, o organismo vai trabalhar para se adaptar e manter a temperatura internat de 37°C.

Como se consegue isto? Através da produção do suor. O processo tem o poder de roubar energia do corpo, arrefecendo-o. O corpo humano é realmente uma máquina fantástica.