George Eastman (12/07/1854 – 14/03/1932)
Na sua carta de suicídio escreveu: “Aos meus amigos: O meu trabalho está feito. Porquê esperar?”
Inventou o filme fotográfico e fundou a Kodak. Foi um precursor na área da fotografia mas resolveu suicidar-se com um tiro no coração.

Kurt Cobain (20/02/1967 – 8/04/1994)
Era admirado por milhares de jovens, que veneravam a música dos Nirvana, e a sua morte deixou inconformados muitos dos seus fãs que não perceberam o acto desesperado. Dependente de heroína e outras drogas, Kurt Cobain não conseguiu lidar com as luzes da ribalta nos últimos anos da sua vida.
Na sua carta de suicídio escreveu: “Frances e Courtney, estarei no vosso altar. Por favor continua Courtney, pela Frances, a vida dela será muito mais feliz sem mim. AMO-VOS. AMO-VOS.”

Freddie Prinze (22/06/1954 – 29/01/1977)
O actor americano, pai do também actor Freddie Prinze Jr., ficou conhecido através da série da NBC ‘Chico and the Man’. Sofria de depressão e consumia drogas.
Suicidou-se com um tiro na cabeça e, na sua carta de suicídio escreveu: “Tenho de acabar com isto. Já não resta esperança. Vou ficar em paz. Ninguém teve nada a ver com isto, a decisão foi totalmente minha.”

Lupe Velez (18/07/1908 – 13/12/1944)
Lupe Velez foi uma actriz mexicana que fez carreira nos EUA. As suas relações amorosoas, incluindo um romance com Charlie Chaplin, foram sempre tesmpestuosas.
Na década de 40 teve uma relação com o jovem actor Harald Maresch, de quem engravidou. Incapaz de fazer um aborto e recusando-se a dar à luz um filho ilegítimo, Lupe ingeriu uma dose excessiva de medicamentos, que acabou por matá-la.
Na sua carta de suicídio escreveu:
“Para o Harald, que Deus perdoe a ti e a mim, mas prefiro tirar a minha própria vida e a do nosso filho antes que o envergonhe ou o mate. Lupe.”

George Sanders (3/07/1906 – 25/04/1972)
George Sanders fez sucesso no cinema nos anos 50. Participou em ‘The Picture of Dorian Gray’ e ‘AAll About Eve’, filme que lhe valeu o Oscar de actor secundário.
Foi casado com a conhecida actriz Zsa Zsa Gabor, e também com a sua irmã, Magda Gabor. Suicidou-se em Espanha aos 66 anos.
Na sua carta de suicídio escreveu: “Querido mundo, deixo-te porque estou aborrecido. Sinto que já vivi o suficiente. Deixo-te com as tuas preocupações idiotas. Boa sorte!”